quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Ensaiando uma intervenção!!!

Me digam senhores. Verdadeiramente, digam-me o que querem esses homens, digam-me o que querem. Quem são?
 Agentes de segurança de inteligência nacional.
Ou... Ou. Problemas a vista imagino. Agencia de segurança de inteligência nacional? Nunca houvi falar. O que eles querem? Saber de segredos? Mas que segredos? Eu sou um livro aberto.
As vezes os nossos segredos residem na abertura que damos ao mundo.
Eu não sei qual a abertura você dá, mas a que eu dou não da motivo nenhum para esses agentes aparecerem por aqui. Na realidade, não é segredo nenhum a minha abertura.
Que segredos você tem! Nossa, não sabia que eram tão profundos.
Eu já lhe disse que não é segredo nenhum, logo não são razoes para a convocação desses agentes.
Sim senhor, mas talvez não seja esse o motivo pelo qual eles estão aqui.
E seria pela abertura de quem? Deve ser um abertura escondida, nesse mundo está cheio de aberturas incubadas que se prendem das maravilhas do escancaramento.
Senhor, do que o senhor está falando? o senhor usa expressões ambíguas, que não nos permitem compreender com exatidão a que se refere.
Ho meu caro, a ambigüidade em minhas palavras fazem parte da intenção por trás delas.
E que intenção seria essa?
Se lhe contasse, não teria sentido tecer esse dialogo.
O senhor me confunde cada vez mais.
Você é um, cabeça de vento.
Vento púrpura, na voz suave de sua deslumbrante pessoa
Palavras adocicadas que ressoam, e ressurgem em seu diálogo.
Sem medo de desvelar o inexorável
Tremo diante de incertezas
Que rondam o imaginário em minha mente
Cada vez mais próximo e num piscar de olhos, entrelaçados entre
Um beijo molhado, respiração ofegante, desejo, ardor, fogo!
Deitados em um colchão velho ressurgem em pensamentos as dúvidas e incertezas
Daquela...
Movimentos constantes num vai e vem
Enobrecem o pecado inaceitável.
Em tamanhos desproporcionais,
O ardor e o prazer se fazem presentes
Em momentos, gritos, gemidos e palavras
Tudo acaba, e os pensamentos retornam ao que eram antes.
Não me sai da cabeça.

O senhor me confunde cada vez mais, o que quis dizer com esses versos? O que quis dizer?
O que aparentemente aparenta parecer ou ser, não é. E o que pensamos inexistir faz parte do intimo do individuo. É so babobeseira, só para relaxar!
Relaxar? O senhor pensa em relaxar? Mesmo com esses tais agentes, correndo atrás de sua pessoa?
Deixem que corram atrás, na realidade ficarei paradinho esperando que se aproximem, evitarei o seu cansaço. Se chegarem diga onde estou e que estarei pronto, aguardando a chegada deles. Ansiosamente!
A senhor, não consigo entende-lo nunca conseguirei.
Claro seu cabeça de vento, se parasse um pouco e observasse ao seu redor, perceberia que eles estão me perseguindo porque eu sou uma diva, um galã. Na realidade todos sabem, me amam ou me odeia, pois falo demais.
Isso eu sei senhor, as vezes gostaria que se calasse. Eu sempre me pergunto por que no final de todas as noites o senhor está na cadeia.
Eu também sempre me pergunto, e é isso que me leva para atrás das grades.
Você se perguntar o leva para atrás das grades? É a idade senhor....
Não me chame de velho, estou na flor da idade
Só se for flor de defunto.
Não me interrompa.
E eu estou lhe interrompano? Olhe senhor, fale logo vá...
Eu esqueci, seu... seu..... há sim. O fato de perguntar me leva a mais perguntas. E quanto mais contexto mais  fico fu..zilado. entende? Ninguém gosta que questionem o que elas acreditam veemente.
Claro, você também quer duvidar de tudo! Você as vezes parece um daqueles rebeldes, maconheros dos anos 80.
Olhe primeiro, olhe o jeito como você fala comigo. Meu querido, é desse modo que você vê aqueles que tornaram publico os seus questionamentos e contextaram um sistema político repressivo? Realmente a mais para ser perguntado. Entenda uma coisa neguinho, eu me perguntei a minha vida toda quem eu era. Assumi a aparência que eles, esses mesmos que nos assistem nesse momento, é vocês, queriam.  Formei-me, ou seria DEFORMEI, porque vocês  não me admitiam na rua, nos espaços públicos.
Não to entendendo senhor.
É essa moral hipócrita que me diz quem devo ser. “Meu filho é macho”, “hii, evem o boiola...” qual é viado”.... ridículo
Eu sei senhor... sei muito bem como é.
E quando eu  abri as portas do armário meu querido... abri o verbo, abri a boca, abri a mente, abri o chão(abaixa-se deixando a bunda para cima)  e .... agora pelo visto,  abri a calça.
I senhor...  nessa sua abertura de calça chegaram os agentes e pelo visto o levarão. Porque sair do armário ta proibido. Imagine o que eles vão falar da sua opção sexual?
Opção? E quem disse que homossexualidade é opção? Nós não escolhemos sentirmos atraçõs por outros homens. Voces, hetero escolheram ser heteros... não. Nós nascemos assim, e diante da diversidade de cores, de formas , em fim diante da diversidade humana nós somos apenas mais um. E esse mais um pede respeito. Não pedimos aceitação, não pedimos compreenção, só não queremos exclusão. Por que ser gay é tão normal quanto ser hetero. O que faz com que vocês pensem, heteros, que são melhores do que nós? O que faz vocês pensarem que nós somos anormais? Já pararam para pensar que vocês podem ser a anomalia?
Mentalidade senhor, mentalidades. Nos sabemos muito bem que essa imagem foi plantada na sociedade, é a tal da moral.
Moral, isso existe? Diante de tanta bandalhera dentro da camara dos deputados, dentro do senado federal, dentro de cada camada da sociedade, dentro da segurança, da saúde, da educação e essa moral vem se preoculpar em julgar os que são caracterizados como diferentes? Baboseira viu! É por isso que a moral nacional está falida, ainda estamos utilizando como base a ética e moral medieval.
É verdade senhor.
Verdade! É essa verdade que criou os skiheads, a homofobia, a intolerância religiosa. Foi essa questão de certo e errado.
Mas venhamos e convenhamos não é senhor, homem com homem é nogento.
E duas mulheres? O que você acha?
Aí é massa, ainda mai se eu estiver no meio.
Essa é a moral que você fala? Meu querido todos somos diferentes, o que deve haver de igualdade entre nós é a prática do amor e a consciência  de que é este sentimento que nos fará viver em comunhão com a terra, com os de nossa espécie, com os outros animais e com Deus.
Não venham me falar que ser gay é ser anormal se não vou mandar vocês pra quele lugar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá pessoal. Agradeço por ter estado no blog. Espero que tenha gostado...Deixe sua opinião.